29/03/2012 08:09

Quantidade de visualizações: 1141

Tâmara Figueiredo / Rádio Sorriso

O pediatra Dr. João Silvério afirmou à reportagem da Rádio Sorriso que atende em média somente em seu consultório, de 8 a 10 casos de suspeita de dengue por dia. Isso reflete a preocupação com o aumento nos índices de notificação da doença, que em Sorriso saltou de 557 em 23/02 para 980 em 23/03. Os casos confirmados também subiram de 158 para 430. “A gente tem visto uma incidência muito alta de dengue. Desses anos todos que estou em Sorriso, este ano é um dos anos que mais a gente tem casos de dengue”.

Segundo o médico, que atende também no Hospital Regional de Sorriso, lá não é diferente, estão ocorrendo muitos casos da doença. Porém, tranqüiliza de que este ano o vírus não está sendo tão agressivo quanto em anos anteriores e com isso, as pessoas não estão sendo tiradas de suas atividades “Este ano o vírus que está circulando é um vírus menos agressivo e não tira as pessoas de circulação. Este ano teve poucas pessoas internadas, tem gente internada, mas em relação aos anos anteriores se tinha uma incidência um pouco menor, mas o tipo de vírus era outro então se tinha muito mais situações mais graves. Hoje o índice de internação é pequeno, não há situações de dengue grave”.

João Silvério acredita que o número de notificações deva ser bem maior que o oficial, já que muitas pessoas acabam não procurando uma unidade médica. E com relação aos casos positivos, para que o paciente seja positivado é necessário que retorne entre o 5º e o 10º dia para refazer o exame, o que muitas vezes não ocorre. “O que vejo é que há uma problemática do que se vê de casos de dengue e o que é realmente é notificado. Em geral se faz um diagnostico no segundo ou terceiro dia pelo hemograma, pela clinica e sorologia em geral e só positiva depois do 5º ao 10º dia. Então esses números são muito discrepantes por esses detalhes. E às vezes como a doença é leve o paciente já sabe dos sintomas e nem procura uma unidade médica”.

E completou, dizendo o que deveria ser feito “A questão é eliminar o mosquito. Isso é uma incompetência tanto nossa, da população, quanto do poder público, o que acontece aqui é que se tem muitos terrenos baldios, por exemplo, mas isso é uma responsabilidade do sistema público limpar e cobrar das pessoas, notificar quem joga lixo, enfim”.

A farmacêutica e bioquímica Vera Denise Pilotto, também afirmou que é bastante alto o número de casos de dengue em Sorriso. Ela conta que em seu laboratório numa estimativa de cada 10 exames realizados por dia, 8 em média são positivos.

Ela revela a existência de um novo exame, que já está em uso nos laboratórios, que é o antígeno NS1. Segundo ela o reagente importado permite um diagnóstico precoce da doença, já no segundo dia da doença já pode ser positivado, e que trará benefícios para o paciente e facilitando também a agilidade na notificação da doença.