21/06/2012 08:07

Quantidade de visualizações: 592

Rádio Sorriso com RD News

O desfalque financeiro para o setor da saúde em Mato Grosso não atinge apenas os a rede controlada pelos municípios. Nesta quarta (20), o deputado JOsé Domingos Fraga (PSD) subiu à tribuna para denunciar um déficit de R$ 42 milhões do Governo com as Organizações Sociais de Saúde (OSS), implantadas no Estado sob o discurso de justamente solucionar o caos que atinge o setor.

A denúncia do social-democrata foi seguida da aprovação do projeto que cria a ouvidoria da Saúde e deixou o governador Silval Barbosa (PMDB) numa “saia justa”. Acontece que o presidente da AL, deputado José Riva (PSD), anunciou há poucos dias a regularização dos repasses referentes ao programa de assistência básica às prefeituras.

Zé Domingos lembrou que o Legislativo deu carta branca ao Governo quando este resolveu implantar a nova forma de gestão. Em troca, no entanto, nada foi feito além do “rombo” nas OSS. Como exemplo ele citou as organizações contratadas para Cáceres, Colíder e Sorriso, que ainda não completaram um ano. “Para elas terem lucro estão deixando de prestar alguns serviços e isso é muito grave. O Governo precisa acompanhar, está havendo muitos problemas”.

Ezequiel Fonseca (PP), por sua vez, fez um aparte na fala do colega com o intuito de defender o programa implantado pelo presidente regional do seu partido, deputado federal Pedro Henry, quando ainda estava à frente da secretaria estadual de Saúde. Na tentativa de amenizar a situação, o progressista declarou que nesta terça (19) foi realizada uma reunião em Cáceres, justamente para discutir a macrorregião das OSS.

O progressista reconheceu que o sistema ainda não é o ideal, mas afirmou que a pasta, sob Vander Fernandes, está tomando todas as providências a fim de melhorar o atendimento a população.