Sorriso FM 99,1

22/02/2019 16:42
Lida 1361 vezes.

Fernando Luiz com assessoria

“Volta às aulas em segurança” é tema de palestras da PRF em apoio à campanha do Detran-MT

Auditórios lotados de crianças e adolescentes atentos às dicas de como voltar às aulas em segurança seja a pé, de “bike’ de ‘busão’ ou de carona. Foram assim as palestras ministradas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em parceria com o Detran-MT na campanha “Volta às aulas em segurança” que visa a conscientizar para prevenir acidentes, principalmente envolvendo crianças e adolescentes.

Cerca de 2.500 alunos de três escolas públicas de Várzea Grande e Cuiabá participaram das palestras realizadas nos dias 19, 20 e 21 de fevereiro. A PRF firmou parceria nesta que é a segunda etapa da campanha de inciativa do Detran-MT, iniciada no último dia 11, quando foram feitas blitz educativas nas proximidades de escolas. Pedestres e motoristas foram lembrados sobre os riscos ao não tomar medidas de segurança com crianças a bordo de veículos e nas entradas das escolas.

Já nas palestras, voltadas para o público adolescente, com maior autonomia em seus deslocamentos diários para escola, os PRFs ressaltaram a importância de atravessar na faixa de pedestre, observar os semáforos e de não se distrair do trânsito por conta do celular. Cuidados no embarque e desembarque de veículos, uso do cinto de segurança, respeito aos limites de velocidade e os perigos da combinação álcool e direção também foram discutidos.

De acordo com a gerente de Ações Educativas do Detran, Rosane Polzl, o objetivo principal é a redução de acidentes envolvendo crianças e adolescentes. “Dados do DataSus apontam que Mato Grosso tem índice de 5 mortes a cada 100 mil crianças e adolescentes, entre 0 e 14 anos. E as crianças vítimas de acidentes representam a maior parte quando são ocupantes de automóveis. Isso é preocupante e precisamos reduzir esses índices”, disse Rosane.

O policial rodoviário Ney Pedroso, do Grupo de Educação para o Trânsito da PRF/MT, reafirma a missão da instituição de salvar vidas. “Para isso é necessário a conscientização por meio da educação e esse processo deve ter início desde cedo no ambiente familiar e escolar. É preciso fazer com que cada um saiba que é fundamental para a construção de um trânsito seguro”, declarou.

Veja também


Enquete
Qual sua opinião sobre as mudanças do trânsito nas perimetrais em anexo à BR 163?
  • Parcial