Sorriso FM 99,1

15/03/2019 15:59
Lida 1487 vezes.

Folha Max

O produtor rural, Paulo Faruk de Moraes, de 61 anos, réu no caso de assassinato do engenheiro agrônomo, Silas Henrique Palmieri Maia de 33 anos, teve o pedido de concedido para a transferência para uma cela especial, em decisão na comarca de Porto dos Gaúchos (km de Cuiabá).

A decisão do juiz Rafael Depra Panichella, do último dia 11 acata parcialmente o pedido do réu.

“Desta feita, em respeito ao decidido em audiência de custódia mantenho o deferimento de prisão especial ao representado Paulo Faruk de Morais, a ser executada, nos termos e fundamentos desta decisão, em cela separada da unidade prisional desta comarca de Porto dos Gaúchos, com fundamento no art. 295, inciso X, e parágrafos, do Código de Processo Penal (Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941)”, decidiu.

Na audiência de custódia, a defesa do produtor aportou pedido de prisão especial no CCC – Centro de Custódia de Cuiabá, ou que aguardasse a transferência no Batalhão da Polícia Militar de Juara, já que não havia cela especial na Cadeia Pública Local. Na decisão do juiz, o réu deve ficar em cela especial, mas o mantém em Porto dos Gaúchos.

A defesa baseou-se no fato de que Faruk já exerceu função de jurado em tribunais do júri na cidade de Nova Mutum.

Paulo Faruk foi preso no dia 21 de fevereiro depois de quatro dias de executar o engenheiro agrônomo Sila Henrique Palmieri Maia de 33 anos, ocorrido no distrito de Novo Paraná em Porto dos Gaúchos.

Silas foi alvejado com tiros na cabeça e morreu a caminhão do hospital. Um vídeo mostra o momento exato em que o produtor mata o agrônomo.

Veja também


Enquete
Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito (a) de Sorriso?
  • Parcial