Sorriso FM 99,1

14/04/2019 10:08
Lida 790 vezes.

Letícia Bortolini, de 37 anos, estava com o marido em um carro quando atropelaram vendedor ambulante em Cuiabá — Foto: Clínica Letícia Bortolini

G1/MT

Há um ano, no dia 14 de abril de 2018, o verdureiro Francisco Lúcio Maia morreu após ser atropelado por um casal de médicos na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá.

À época, a médica Letícia Bortolini, após atropelar Francisco, fugiu do local. Ela foi presa na casa dela, em um condomínio da capital. Ela se recusou a fazer o teste do bafômetro, entretanto, segundo a polícia, estava com sinais de embriaguez.

Ela foi solta dois dias depois sob a alegação de que ela tem um filho com 1 ano de idade e que precisa dos cuidados dela. Desde então, ela permanece em liberdade, atuando como médica na capital.

A vítima, Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, empurrava um carrinho de verdura para o canteiro da avenida quando foi atingido pelo automóvel, conduzido pela médica.

Letícia é proprietária de uma clínica particular, no Bairro Bosque da Saúde, e atua como dermatologista.

Em depoimento à polícia, uma testemunha que presenciou o atropelamento contou que Letícia Bortoloni, de 37 anos, a médica que conduzia o veículo estava em alta velocidade e fazia zigue-zague nas curvas.

Leticia Bortolini foi denunciada por homicídio doloso, quando há a intenção de matar; omissão de socorro; se afastar do local do acidente para fugir à responsabilidade e conduzir embriagada (artigos 304, 305 e 306 do Código de Trânsito Brasileiro, na forma do artigo 69 do Código Penal)

Veja também


Enquete
Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito (a) de Sorriso?
  • Parcial