Agora: Recordações

​Inmet aponta aumento de 5ºC em MT e alerta para risco morte por hipertermia

olhar em 10/09/2019 às 17:18. Lida 2354 vezes.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) emitiu alerta vermelho de onda de calor em Mato Grosso que pode aumentar em 5ºC acima da temperatura média (que foi de 34,5ºC) por período maior que cinco dias. Há também alerta de hipertermia, com risco de morte. Durante toda a semana os termômetros devem ficar na casa dos 40ºC e a umidade em torno de 15%.

A hipertermia é o termo associado à elevação e/ou manutenção das temperaturas do corpo humano ou de outro organismo vivo a patamares capazes de comprometer ou mesmo de colapsar metabolismos.

O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), que é ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), também emitiu um alerta de onda de calor nos 141 municípios mato-grossenses. O aviso começou na segunda-feira (9) e segue até sexta-feira (13).

Na última sexta-feira (6), Cuiabá bateu recorde de calor chegando à marca dos 42ºC de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Essa é a maior temperatura do ano registrada até o momento.

O alerta da onda de calor também está sendo enviado pela Defesa Civil através de SMS. Para aderir ao sistema de prevenção é muito simples: se você receber mensagens de texto da Defesa Civil em seu celular informando sobre o serviço de alerta de desastres, basta responder com o CEP residencial.

Assim, o usuário é cadastrado automaticamente e começa a receber as orientações. Caso não chegue nenhum SMS, é possível aderir ao sistema mandando mensagem de texto com o CEP de casa para o número 40199.

Baixa umidade

Ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz são alguns das sensações neste período. Segundo o diretor de Proteção e Defesa Civil de Cuiabá, Paulo Wolkmer, nesse período, as crianças e idosos fazem parte do grupo mais afetado.

Seguem abaixo algumas sugestões da Defesa Civil de Cuiabá.

1. Ingerir muita água;
2. Evitar exercícios físicos entre 10h e 16h;
3. Evitar grandes aglomerações;
4. Evitar exposição prolongada a ambientes com ar condicionado;
5. Utilizar em ambientes internos, baldes com água, toalhas molhadas e umidificadores de ar (no caso dos baldes com água, vale observar se eles ficarão fora do alcance das crianças, eliminando os riscos de afogamento;
6. Evitar exposição direta aos raios solares. Caso exposição seja inevitável, utilizar protetor solar, guarda-sol com proteção UV e roupas leves;
7. Não provocar queimadas.

Confira a classificação dos estados de criticidade definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS):

Acima de 30% - Aceitável
Entre 21 e 30% - Estado de Atenção
Entre 12 e 20% - Estado de Alerta
Abaixo de 12% - Estado de Emergência

Enquete


Você é contra ou a favor de eleições para diretores e coordenadores de escolas públicas municipais?
Parciais